2.12.08

O paleo-marketing ataca de novo

Cada dia recebo mais SMSs promocionais. Agora, foi a vez de a Ford vir falar-me do seu Novo Fiesta e convidar-me a conhecer o fantástico desconto oferecido a quem comprar um até ao fim do ano.

Eu não estou no mercado para comprar um carro novo, e muito menos um Fiesta. Isso não incomoda demasiado a Ford: como o custo de me enviar a mensagem é praticamente nulo, não vem daí mal ao seu limitado mundo.

Chama-se a isto marketing de vistas curtas. Ao agir desta maneira, sem respeito pela privacidade do público, a Ford não está a gastar nada, excepto a sua reputação ou, dito de outra forma, a minha disponibilidade para dar ouvidos ao que a Ford tem para me dizer.

Se a Ford não conhece sobre mim mais que o número do meu telemóvel - e onde o terá obtido? - como se permite incomodar-me com mensagens tolas?

As únicas ideias que seguramente reterei desta experiência serão, pois:

1. Que a Ford se acha no direito de incomodar o parceiro sem autorização para tal.

2. Que as técnicas de marketing da Ford permanecem prisioneiras de conceitos e rotinas de um tempo que já acabou.

2 comentários:

jayme kopke disse...

Mais do que apoiado. Recentemente recebi provavelmente o mesmo SMS a empurrar-me o Fiesta. A Blockbuster também me incomoda com frequência. E a minha própria operadora móvel, a Vodafone, é recorrente no abuso, mandando-me montes de mensagens e vídeos não solicitados. Chama-se a isso Spam. Mas também se pode chamar, como o João Pinto e Castro sugere, simples falta de inteligência.

Virgínia Coutinho disse...

E a parte menos inteligente é que o Dr está muito longe de ser o target para esse produto... tanto quanto sei a maior acção promocional (a realização dos "ICones") servia precisamente para posicionar o carro como sendo para um publico muito jovem... é a ania de incomodar toda a gente indiscriminadamente....