28.10.07

Marketing directo (ao caixote)

Há já alguns anos que a minha caixa de correio é contemplada, com uma regularidade que não sei precisar, com um magnífico exemplar da revista Pro-Digital. Para quem não sabe, trata-se uma “Revista Profissional de Impressão, Imagem e Comunicação Digital”. Eu também não sabia, e só o sei agora porque está escrito na capa. Raras vezes terei passado daí, e se cheguei a abrir a revista foi só para uma folheada rápida, passados uns dias de a ter ali a atravancar a secretária, e antes de a mandar em definitivo para o arquivo circular.

E, no entanto, não tenho qualquer reparo a essa honesta publicação. Parece bem impressa, tem um grafismo correcto e não duvido que contenha artigos do mais alto interesse para os aficionados da “impressão, imagem e comunicação digital”. Acredito mesmo que custe bom dinheiro a editar, e mais um bocado a enviar a umas centenas de ingratos como eu, que não lhe ligam nenhuma.

Por que então continuo a recebê-la? Boa pergunta. Com certeza acharam o meu nome numa lista qualquer e deduziram que as artes gráficas eram a minha paixão. Nunca me perguntaram se eu autorizava o envio, o que achava da revista, nem sequer se deram ao trabalho de explicar tanta amabilidade. Vasculho o envelope e não há carta, questionário, postal RSF, nada. Só a própria revista: um bocado de dinheiro que alguém gastou e que vai direitinho para o lixo.

E ainda há quem diga que não se faz marketing directo a sério em Portugal por ser muito caro. É exactamente o contrário. Caro é fazer marketing directo assim.

2 comentários:

Sérgio Rodrigues disse...

Completamente de acordo com a atitude.
Aliás o spam enviado não é mais do que uma perda de tempo pois a informação nunca chega a ser lida.
Este artigo é um excelente exemplo das consequências para todos os spammers:
http://www.e-goi.com/pt_pt/maxcontent/documento/386/noticias/

Hugo Pascoal disse...

Parece-me um comentário pertinente. O Marketing Directo deve ser correctamente aplicado e o e-mail marketing tem um potencial muito grande se for utilizado da melhor forma.

Aqui está um outro artigo verdadeiramente interessante com dicas para construir uma mailing list de forma consistente que consegui encontrar na mesma fonte que o Sérgio.

Cinco dicas básicas que facilmente podem passar ao lado